Probióticos ajudam a emagrecer

Probióticos ajudam a emagrecer?

O termo “probióticos” pode ser novo para alguns, mas o conceito tem se popularizado bastante nos últimos anos. Seus efeitos benéficos em diversas áreas da saúde humana têm sido bastante pesquisados, inclusive sua ação no emagrecimento. Pensando em benefícios, diversas perguntas vêm à tona: o que são os probióticos? Quais suas funções? Onde eles estão presentes? Afinal, ajudam a emagrecer?
Felizmente, são essas perguntas que vamos responder no post de hoje!

O que são probióticos?

De forma bem direta, probióticos são produtos alimentares que contêm microrganismos vivos cuja ingestão traz benefícios à saúde. De outra forma, podemos dizer que os probióticos são os “bichinhos do iogurte” que as mães costumam falar. Os probióticos podem ser bactérias ou fungos, e estão presentes no intestino, formando a microbiota intestinal.
Antigamente costumava-se chamar a microbiota de flora intestinal, mas esse termo deixou de ser correto, afinal, flora remete a plantas enquanto os organismos residentes do intestino se tratam de bactérias e fungos.
Os microrganismos vivem no intestino de forma comensal com o hospedeiro, ou seja, a vida do microrganismo não gera prejuízo à saúde do indivíduo. Pode-se dizer que é uma troca, o indivíduo fornece um ambiente propício para os microrganismos, enquanto a atividade desses gera benefícios à saúde do hospedeiro.
Probióticos ajudam a emagrecer

Mas por que a microbiota intestinal é importante?

Diversos estudos têm associado a atividade da microbiota intestinal com o cérebro. As bactérias presentes no intestino protegem a mucosa do órgão da invasão de possíveis patógenos, enviam sinais para o sistema imunológico sobre a presença desses patógenos e consequentemente regulam a inflamação. Ou seja, a saúde tanto neuronal quanto de todo o organismo depende do bom funcionamento intestinal, e o bom funcionamento intestinal consiste em variedade de microrganismos residentes desempenhando suas funções.
No intestino, mais de 80 trilhões de microrganismos estão presentes, representadas por mais de 2 mil espécies e pesando cerca de 3 quilos ao total. É importante observar que menos de 5% dessa quantidade de microrganismos têm relação com doenças.
Ao total, a quantidade de células de bactérias e fungos é maior do que o número das próprias células do corpo humano. Uma pluralidade tão grande é formada a partir de diversos estágios e acontecimentos da vida. A microbiota sofre alterações de acordo com a forma de parto que o indivíduo nasceu, ambiente em que a criança está inserida pós nascimento e parte do mundo em que mora. Quanto mais diverso o ambiente em que a criança se desenvolve (presença de pets, por exemplo), mais rica será a microbiota daquela pessoa.
De forma geral, podemos citar algumas funções da microbiota no organismo:

  • Auxiliar na digestão de açúcares
  • Sintetizar e excretar vitaminas
  • Promover o desenvolvimento de tecidos
  • Defender o organismo de bactérias patógenas

E o que os probióticos fazem nesse contexto?

A esse ponto, você já sabe que a maior parte das funções intestinais são desempenhadas por microrganismos. Essas funções são separadas por tipo de microrganismos, ou seja, cada tipo é responsável por uma função. Confira abaixo alguns exemplos:

Tipo Função Importância
Prevotella Síntese de vitamina B1 Deficiência de B1 provoca problemas de concentração e se atingir níveis mais severos, provoca a doença béri béri
Bacteroides Síntese de biotina (vitamina B7) Deficiência de biotina causa doença de pele, enfraquecimento de unhas e cabelo. Em níveis mais graves, pode provocar depressão, sonolência, maior suscetibilidade a infecções, distúrbios nervosos e aumento dos níveis de colesterol
Ruminococcus Síntese de vitamina B12 Deficiência de B12 tem a anemia como principal resultado

Até aqui, você também já entendeu que é importante manter a população de microrganismos viva, diversa e exercendo suas funções normalmente. Mas como?

Entenda a diferença entre prebióticos e probióticos

A diferença é bem simples: probióticos são os microrganismos que já falamos e prebióticos são substâncias que estimulam seletivamente o crescimento e a atividade de uma ou mais bactérias benéficas do intestino. Prebióticos são os alimentos das bactérias que não são quebrados pela digestão humana, como as fibras.
Probióticos ajudam a emagrecer

Onde encontro probióticos?

Basicamente em produtos lácteos fermentados, como iogurtes e os leites fermentados (Yakult e afins). Algumas marcas fabricam iogurtes com ainda mais probióticos adicionados. Recentemente, culturas como o kefir e a kombucha têm se popularizado também, se apresentando como ótimas opções probióticas pelas diversas opções de sabores da kombucha e pela facilidade de substituição por leite ou iogurte no caso do kefir.

Afinal, emagrece ou não?

Os probióticos podem, sim, auxiliar no emagrecimento dentro de um contexto específico. Iogurtes, kombucha e kefir, dentro de uma rotina que inclua alimentos saudáveis e naturais, exercícios físicos e bons hábitos, têm o papel de fortalecer o organismo, potencializar a microbiota e auxiliar no bom funcionamento dos processos metabólicos, o que pode significar emagrecimento.
A própria alimentação é responsável pela modulação positiva da microbiota, ou seja, a mudança de hábitos alimentares resulta no melhor funcionamento do intestino, que responde melhor aos processos. Essa regulação representa um grande ciclo de dependência entre alimentação e microbiota.
Agora você já sabe tudo sobre os probióticos e o papel importante que eles têm na saúde e no emagrecimento. Incluir alimentos probióticos na rotina só traz benefícios, como você acabou de descobrir, então encontre o que você prefere e comece a comer hoje mesmo!

ADICIONAR COMENTÁRIO