mulher sofrendo consequências do sedentarismo

Conheça as consequências do sedentarismo e como evitá-las!

O ser humano não foi feito para ficar parado. Nosso corpo, além de ter articulações e músculos que favorecem vários tipos de movimentos, precisa estar ativo para se manter saudável.

O estilo de vida contemporâneo não respeita essa necessidade: muitos passam a maior parte do tempo trabalhando sentados na frente do computador. Principalmente no cenário atual em que tantos estão trabalhando em home office.

Como consequência, têm de lidar com diversas doenças que podem surgir em função da falta de exercício físico. Mas como se proteger das consequências do sedentarismo? 

É preciso praticar atividades físicas regularmente, ter uma alimentação equilibrada e cultivar hábitos que evitem uma rotina sedentária. 

Acompanhe o post que explicaremos melhor quais são as doenças do sedentarismo e como fazer para evitá-las!

Qual a diferença entre comportamento sedentário e inatividade física?

Antes de falarmos das doenças decorrentes do sedentarismo em si, é importante entender o conceito de sedentarismo.

Muitas pessoas pensam que o indivíduo sedentário é aquele que deixa de praticar exercícios no dia a dia. Esse hábito na verdade leva o nome de inatividade física, e é apenas um dos aspectos relacionados ao sedentarismo.

O sedentarismo em si é um conceito mais amplo, que se caracteriza tanto pela falta de exercícios físicos quanto pelo tempo dedicado a atividades que não aumentam significativamente o gasto energético em relação ao repouso. O conceito inclui o comportamento sedentário, cada vez mais presente no dia a dia.

O comportamento sedentário é o excesso de tempo sentado, deitado ou em atividades que não representam praticamente nenhum gasto calórico, como é o formato de diversos empregos na atualidade.

É plenamente possível que esse comportamento coexista com a atividade física. Ou seja, mesmo que a pessoa pratique algum exercício físico rotineiramente, ela pode ter comportamento sedentário se gasta todo o resto de seu tempo com atividades que não envolvam uma quantidade mínima de movimentação do corpo. Além de tempo sedentário, fatores como estresse, tabagismo e alimentação inadequada aumentam ainda mais os riscos de doenças, pois não podem ser contrabalanceados com a prática de exercícios.

Quais são as consequências do sedentarismo?

Doenças posturais

A maior parte das pessoas passa muito tempo sentada durante a rotina de trabalho, e ainda de maneira incorreta: com a coluna curvada e os ombros caídos. Essa postura coloca uma pressão muito grande sobre a espinha dorsal, o que causa desgaste dos discos vertebrais, sobrecarga de ligamentos e tensão nos músculos.

Home office

Principalmente no contexto atual de pandemia de coronavírus, o home office se tornou uma realidade. O problema é que nem sempre as nossas casas oferecem a estrutura que os escritórios oferecem, fazendo com que o trabalho no sofá seja comum e a dificuldade em manter a postura adequada também.

Se esse comportamento se prolongar por muito tempo, pode ocasionar fortes dores nas costas e até condições mais graves, como a lordose. A postura correta é com os ombros abertos, coluna ereta e olhando para frente. Algumas modalidades de exercício estimulam a reestruturação da coluna, como o pilates, que trata e previne problemas posturais.

Dificuldades respiratórias

A posição curvada ao sentar também encolhe a cavidade peitoral, que deixa os pulmões com menos espaço para se expandir no momento da respiração. Essa restrição limita temporariamente a quantidade de oxigênio que preenche os pulmões e é absorvida pelo sangue.

Portanto, quem tem dificuldade para respirar, deve ficar atento à postura e ao tempo que passa sentado. A causa pode ser exatamente essa.

Problemas de circulação e cardiovasculares

Ficar muito tempo sem se movimentar causa a obstrução de vasos sanguíneos. Desse modo, o músculo cardíaco precisa fazer mais força para bombear o sangue pelo corpo, o que prejudica a circulação e causa inchaço em alguns membros. Além disso, aumentam os riscos de diversas doenças cardiovasculares como hipertensão, ataque cardíaco e acidente vascular cerebral (AVC).

Obesidade

O desenvolvimento da obesidade não se dá apenas pela falta de exercício físico, e sim por um conjunto de mudanças comportamentais, hormonais, fisiológicas e de estilo de vida. Dessa forma, o ganho de peso não é a única consequência da obesidade.

Pessoas obesas geralmente apresentam um processo de inflamação generalizada, além de outras mudanças metabólicas que aumentam as chances de desenvolvimento de diabetes, hipertensão e outras doenças cardiovasculares, além de disfunções no metabolismo de lipídios que resultam no aumento do colesterol.

Qualidade de vida na terceira idade

Uma das consequências do sedentarismo é a falta de autonomia. Se você não pratica exercícios físicos e não mantém uma rotina ativa enquanto você é jovem, terá dificuldade em realizar tarefas que demandem maior força e resistência quando chegar à terceira idade.

Se exercitar para ter músculos fortes pode parecer algo benéfico apenas para a estética, mas é o que faz a diferença em diversos momentos conforme a idade avança. Ter disposição e força para caminhar até o mercado, carregar sacolas e pegar um pote na última gaveta do armário é essencial em qualquer fase da vida e só é possível se você tiver um corpo preparado.

Além de não depender de outras pessoas para fazer suas atividades, ter um corpo saudável e ativo ajuda a prevenir quedas e fraturas.

183844-como-combater-o-sedentarismo-e-a-obesidade-no-trabalho-1024x576-6864676

Consequências do sedentarismo: como evitá-las?

Mesmo que você já sofra de alguma das complicações citadas acima, se manter ativo pode melhorar sua qualidade de vida e prevenir o agravo de algumas condições. A Organização Mundial da Saúde recomenda a prática de 150 minutos de atividade física moderada a intensa por semana. Que tal começar?

A boa notícia é que alguns hábitos simples já ajudam a eliminar o comportamento sedentário da sua vida. Alguns exemplos são:

  • Passar menos tempo sentado e, quando estiver sentado, se atentar à postura;
  • Caminhar por 5 minutos a cada hora de trabalho;
  • Escolher as escadas ao invés do elevador sempre que possível;
  • Estacionar a algumas quadras de distância do seu trabalho, aproveitando para caminhar;
  • Nesse momento de home office, aproveitar o tempo que você gastaria em transporte para fazer algum exercício físico em casa;
  • Levar o cachorro para passear todos os dias, mesmo que por pouco tempo;
  • Praticar atividades ao ar livre —pode ser até mesmo cuidar do jardim, ou caminhar ao finais de semana;
  • Incluir exercícios físicos na sua rotina gradativamente, na frequência adequada.

Agora que você já sabe dos perigos das doenças causadas pelo grande tempo em atividades sedentárias, é hora de tomar as atitudes certas para evitar problemas futuros. Como vimos, ações simples já são suficientes para causar grandes transformações positivas na saúde e na produtividade.

Gostou deste conteúdo? Então compartilhe o texto com um amigo que também se interessa pelo assunto e quer se ver livre das consequências do sedentarismo!

ADD COMMENT

Open chat